Sinto-me agoniado

Começo o artigo de hoje partilhando uma frase da escritora britânica Virginia Woolf “nada acontece até ser contado”. A tal Europa dos subsídios, a tal Europa das contradições, a tal Europa dos burocratas, precisa da nossa atenção como cidadãos. Independentemente das várias conotações e das (não) correspondências de expectativas, não será difícil o (a) leitor(a) me acompanhar na minha convicção de que a construção da União Europeia foi um dos projetos políticos mais interessantes que aconteceu nas últimas décadas. Este elevado grau de interesse do projeto Europeu, gerou, porém - com a mesma intensidade -, expectativas junto dos cidadãos, que estão a ser sistematicamente defraudadas, quer pela inércia da ação política quer pela própria lógica temporal, ou seja, existem respostas que aparecem em função do próprio tempo natural de maturação. Pode ler na integra o artigo em Jornal " Açoriano Oriental"

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Cabo Verde, um percurso de esperança

Slow Ferry e o enguiço do Estado

A lei dos mais fortes...Conhecem um tal Abreu Freire?