O tempo foi, como sempre, implacável

O tempo foi, como sempre, implacável. Soube há minutos do falecimento, em Ponta Delgada, do Zé Maria " Tchindelo" ( ao centro). Foi jogador do Benfica e do Santa Clara. Em 2006, conseguimos com o patrocínio do BES|Açores uma viagem para que Tchindelo pudesse revisitar Cabo Verde. Ele já não ia a Cabo Verde há mais de 30 anos. Pouco dias depois, teve um ataque cardíaco numa embarcação espanhola onde ele trabalhava como cozinheiro. A saúde dele foi debilitando e morreu sem ter podido ir revisitar Cabo Verde. Nos últimos meses, estava em contato com Benfica para que pudéssemos fazer uma simbólica homenagem. Não fomos a tempo... e a alma doí perante esta contagem implacável do tempo, tanto perante a nossa existência como na (im)possibilidade de dizer alguém, por exemplo: obrigado.

Comentários

R.I.P. Zé Maria.
Foste um Grande Homem e amigo.

Mensagens populares deste blogue

Cabo Verde, um percurso de esperança

Slow Ferry e o enguiço do Estado

Fine coliving in the Azores