Os espíritos irrequietos 2

Da mesma Cidade Luz continuam ainda a chegar notícias alarmantes preconizadas por Sarkozy perante o silêncio quase generalizado dos seus pares europeus, a par de escassas críticas - muito politicamente correctas - que são feitas (o discurso de Durão Barroso, ontem, é um exemplo perfeito). Por isso, apetece-me partilhar com o leitor umas frases proferidas por Martin Luther King e que têm um alcance extraordinário: “O que me preocupa não é nem o grito dos corruptos, dos violentos, dos desonestos, dos sem carácter, dos sem ética... O que me preocupa é o silêncio dos bons.” Os bons, nesta perspectiva, são as pessoas que acreditam verdadeiramente na primazia dos Direitos Humanos e na capacidade de criarmos condições para que cada um possa viver onde estiver a sua felicidade mas que opta pelo silêncio. Para agravar a situação deste ataque injustificável aos ciganos, Sarkozy veio com mais uma: ameaçou tirar a cidadania às pessoas que adquiram a nacionalidade, por via da naturalização, em caso de ofensas graves às autoridades. Um pormenor interessante nisto tudo: o pai de Sarkozy é húngaro, o avô é grego e julgo que nem Jean Marie Le Pen faria melhor e como um amigo meu disse, o “ Jeanzinho deve estar furibundo pelo facto de Sarkozy estar a roubar-lhe os ideais”

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Cabo Verde, um percurso de esperança

Slow Ferry e o enguiço do Estado

Fine coliving in the Azores