As contemporaneidades

Se em algumas situações a disputa entre o Governo Regional e a Câmara Municipal de Ponta Delgada, ou melhor ainda, entre Carlos César (CC) e Berta Cabral (BC), acarreta benefícios para a população, outras são reveladoras de claro prejuízo.
Um exemplo deste ganho é a existência de duas excelentes salas de espectáculos (Teatro e Coliseu Micaelense) que vieram trazer novo impulso cultural à cidade e todos nós agradecemos. Hoje, a oferta cultural de Ponta Delgada é perfeitamente comparável a qualquer cidade do continente.
No outro dia, enquanto Berta Cabral inaugurava um lar para idosos, Carlos César anunciava no mesmo a construção de um lar no Concelho de Ponta Delgada. Claro que os nossos idosos saem a ganhar com a existência de mais e melhores resposta e espaços para os acolher. Todavia, não seria descabido pensarmos em políticas alternativas para a terceira idade e que fogem ao encaixotamento. Tenho a noção da política de lares muito mais fácil, mas porque não aproveitar a relativa pequenez do nosso espaço e a proximidade que existe entre a população para potenciar abordagens inovadoras no apoio aos idosos?
O novo despique entre CC e BC tem a ver com as coisas contemporâneas. CC anunciou, no outro dia, que o Concelho da Ribeira Grande irá receber o Centro da Arte da Contemporânea e BC disse, por sua vez, que iria construir um Museu de Arte Contemporânea na Avenida do Mar que será projectado pelo arquitecto brasileiro Óscar Niemeyer. Para já, ganha BC que anunciou o nome de um arquitecto famoso, isto apesar dos seus 101 anos e uma saúde muito débil. Não é novidade para ninguém que somos meia dúzia de almas na Região e que o Concelho de Ponta Delgada dista pouco mais de vinte quilómetros da Ribeira Grande. Por isso, é legitimo perguntar se não seria mais benéfico para a Região um projecto único da arte contemporânea em vez de dois? No caso de avançarem os dois projectos, fica a pergunta: onde é que CC e BC irão buscar as contemporaneidades para os seus respectivos espaços?

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Cabo Verde, um percurso de esperança

Slow Ferry e o enguiço do Estado

Fine coliving in the Azores