caldeirão 2

O CD-PP teve uma semana radiante e os acontecimentos da Bela Vista vieram reforçar essa euforia. E, como existe sempre o aproveitamento político dessas situações, o cidadão comum fica ainda mais baralhado, sendo que o essencial do problema perde-se. O bairro da Bela vista, assemelha-se a dezenas de outras existentes em Portugal, onde residem portugueses onde a maioria senão todos, são portugueses de segunda. Não são imigrantes, são portugueses. Não é um problema de imigração mas sim de política sociais, nomeadamente, de habitação. A resposta mais fácil é encaixotar as pessoas. Essa política de encaixotamento, todavia, tem um custo, a médio prazo muito elevado. Quem fizer asneira e condicionar a liberdade do próximo deve ser exemplarmente castigado e sobre isso ninguém tem dúvidas. Mas, também, que ninguém tenha dúvidas que existem por esse país fora, autênticos caldeirões e grupos de pessoas que são colocados (e ficam) completamente à margem de tudo e todos. Só não ficam à margem quando o caldeirão se entorna.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Cabo Verde, um percurso de esperança

Slow Ferry e o enguiço do Estado

Fine coliving in the Azores