A amplitude da crise?

Ao que parece a crise já tomou conta da nossa vivência colectiva, se não na prática, pelo menos, no discursos. A questão que qualquer leigo em Economia coloca, como é o meu caso, como é que ninguém, nem mesmos os reputados economistas, pôde sequer prever o tal cenário de crise que estamos a atravessar? Será que temos de começar a desconfiar das previsões dos economistas? De qualquer forma, com crise virtual, real, inflacionada ou as três coisas em simultâneo, o poder político tem a responsabilidade moral de proteger o emprego e o rendimento das pessoas, sobretudo o das que por um conjunto de razões se encontram e ficam numa situação social e económica mais frágil. Esta crise pode ser ainda uma boa oportunidade para a concretização de políticas inovadoras, sem deixar de lado a necessidade de um trabalho permanente de todos nós. Estou seguro que com essa responsabilidade moral e respostas criativas, seremos capazes de dizer “ Xô crise”. Só depende de nós.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Cabo Verde, um percurso de esperança

Slow Ferry e o enguiço do Estado

Fine coliving in the Azores