Terminal 2 ou de segunda?


É do conhecimento, mais ou menos generalizado, que já se encontra em funcionamento no aeroporto de Lisboa o terminal 2. A empresa que gere os aeroportos nacionais tem utilizado duas frases fantásticas para divulgar a existência desse novo espaço: “Amigo não empata Amigo” e “Se é para Portugal vá para Terminal 2”. Todos acreditam que o que motivou a criação do Terminal 2 é a necessidade de aumentar a qualidade do serviço prestado aos passageiros, aliada à rapidez nas respostas etc. No entanto, face às inúmeras falhas que o novo Terminal tem registado, confesso que se deveria chamar “Terminal de Segunda” ou, socorrendo-me da própria frase de promoção, “Amigo pode e deve empatar amigo” ou melhor ainda “ Se é para Portugal, use o terminal de segunda”. Bom, vamos ao facto: no outro dia, por culpa própria, confundi a minha hora de regresso para Ponta Delgada e quando cheguei para fazer o check in o meu voo já tinha partido. Até aqui nada de novo, pois, se fosse no Terminal 1 a história seria a mesma coisa. No entanto, decidi alterar o regresso para as 19h10 e não o pude fazer em tempo útil de apanhar o voo, porque e TAP não tem no Terminal 2 o serviço de alteração e venda de bilhetes. Devido à inexistência desse serviço, mandaram-me para o Terminal 1 e, face ao pouco tempo de que dispunha, não consegui embarcar. Para já, a TAP não tem serviços próprios no Terminal 2, mas sim é representada através de uma empresa prestadora de serviços com responsabilidades limitadas na resolução dos problemas dos passageiros. É exigível que as companhias que operam nas linhas nacionais cumpram os serviços mínimos no tal terminal. A SATA tem lá todos os serviços, mas a TAP entende que deve ter no terminal 2 os serviços limitados. Como não embarquei naquele dia, lá estava eu do tal terminal 2, e também porque tinha nas minhas bagagens um caixote, tive de ir deixa-lo na secção de bagagens fora de formato. Naquela manhã, comprovou-se, de igual modo, a teoria do terminal de segundo, pois o aparelho de Raio de X principal avariou e lá tive de levar uns bons minutos perdidos. Haverá, com certeza, outros episódios vividos por outras pessoas relacionados com um péssimo serviço que é prestado nesta curta existência do Terminal. Vamos ficar na expectativa, no sentido de que o terminal 2 não se perpetue como o terminal de segunda.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Cabo Verde, um percurso de esperança

Slow Ferry e o enguiço do Estado

A lei dos mais fortes...Conhecem um tal Abreu Freire?