César e Jardim em União de Facto


Depois de um período de alguma tensão entre os dois Presidentes das Regiões Autónomas Portuguesas, em que um deles confessou preferir ir assistir a um concerto de música barroca de que assistir a uma entrevista cacofónica e tarouca do outro, parece-nos que a paz e o bom relacionamento já estão estabelecidos. Pelo menos, a acreditar nas palavras e atitudes de Carlos César e do Alberto João Jardim. Numa conferência de imprensa conjunta realizada na Madeira, Alberto João Jardim disse que agora a Madeira e os Açores vivem em união de facto, depois de um longo namoro com as suas naturais divergências. Julgo que essa união entre Carlos César e João Jardim lá poderá ter as suas coisas boas, mas não podemos esquecer que no meio desse clima romântico os Açores têm uma amante de peso que se chama José Sócrates. Vamos lá a ver até onde vai esse bom relacionamento e até que ponto as afinidades e existência de uma agenda comum entre as duas regiões não belisca o bom relacionamento entre os Açores e a República. Ate porque o casamento e união de facto legalmente são a mesma coisa e Portugal tem registado nos últimos tempos o aumento considerável de casos extraconjugais.
Mais a sério: é claro que politicamente o Governo da República assumiu alguns compromissos com os Açores que ainda não foram cumpridos ( ex: caso da Lei das Finanças Regionais). Esse regime de conjugalidade entre César e Jardim é um facto político relevante.Vamos ver o que nos reserva (:

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Cabo Verde, um percurso de esperança

Slow Ferry e o enguiço do Estado

A lei dos mais fortes...Conhecem um tal Abreu Freire?